COMO LIDAR COM A ANSIEDADE?

Nesse artigo você vai aprender um pouco mais sobre ansiedade, e vai conferir dicas de como lidar com ela, sendo você estudante ou responsável.

Foto de Joice Kelly

Quem nunca se sentiu ansioso?

A sensação de ansiedade em nível de transtorno tem se tornado um traço cada vez mais comum entre os jovens que caminham para a vida adulta. Isso pode ser explicado tanto pela natureza das transformações que habitualmente ocorrem nessa fase transitória, quanto pelas cobranças próprias do nosso tempo, algo que está diretamente vinculado aos hábitos e padrões de consumo e expectativa do mundo atual.

Ou seja, esse sentimento de ansiedade é resultante de um conjunto de mudanças naturais, tais como as transformações da puberdade, bem como produto da comparação e das exigências sociais e profissionais próprias da vida adulta. 

Sentir receio é normal e faz parte da experiência humana. Afinal, mudanças podem ser desafiadoras e gerar um pouco de ansiedade. No entanto, existe uma extensão para esse sentimento.

Ansiedade que paralisa

Quando a ansiedade é paralisadora e atrapalha o encaminhamento da rotina e a construção de relacionamentos, é preciso dedicar maior atenção à sua superação. Mas como saber se a ansiedade que sentimos tem traços patológicos? Como identificar se a ansiedade que sentimos está em um grau preocupante? 

A resposta é simples: faça uma autoavaliação. “Como assim, Rapha?!”. Identifique se essas características e traços costumam ser comuns na sua vida: coração acelerado; insônia; transpiração excessiva; tremores; dores no pescoço e ombros; boca seca.

Estudante, aqui vão algumas dicas para você lidar com a sua ansiedade

Se isso tudo é comum para você, é preciso lidar com essa situação de modo consciente e maduro. Siga as orientações indicadas adiante:

  • Movimente-se, procure uma atividade física que lhe agrade

A prática de exercícios, além de ser muito boa para a saúde física, pode ajudar a aliviar os sintomas da ansiedade, pois é durante a execução do exercício que o organismo libera substâncias (hormônios) que promovem sensação de bem estar (como é o caso da endorfina). Aqui vão algumas atividades indicadas para movimentar o corpo:, corrida, caminhada, dança, lutas, yoga, etc.

  • Cuide da alimentação

Pessoas que sofrem de ansiedade precisam redobrar os cuidados com a alimentação, já que é comum “descontar” a frustração e a ansiedade em comidas pouco saudáveis, ricas em gorduras, açúcares e carboidratos. O contrário também pode ocorrer, levando à falta de apetite. Ter uma rotina regrada e uma alimentação balanceada é fundamental para não desenvolver transtornos alimentares ligados à ansiedade).

  • Desenvolva algum hobby saudável

Vestibular, cursinho, escola e muitas decisões para serem tomadas acabam tomando muito tempo, porém é importante abrir um espaço para dedicar-se a uma atividade que lhe traga prazer e faça a mente descansar. Ter contato com pessoas agradáveis também pode contribuir para controlar a sua ansiedade.

  • Organize as suas tarefas diárias

Uma das causas da ansiedade é a desorganização.

Planeje seu dia com antecedência, organize seus afazeres de forma que seja de fácil entendimento, você pode usar uma agenda, um aplicativo, planner… Organizando seu dia, você consegue reduzir a chance de ser pego por um imprevisto, aproveita melhor o seu tempo e atinge um equilíbrio emocional maior.

  • Quando tiver um tempo, pare e respire com calma

Dedique alguns minutos do seu dia para respirar. Inspirações e expirações longas e profundas podem diminuir a chance de ter uma crise de ansiedade. Aqui vai um passo-a-passo para você fazer a sua respiração consciente:

  1. Inspire suavemente pelo nariz;
  2. Conte devagar até quatro e deixando a barriga se expandir;
  3. Por fim, expire suavemente, contando até seis.

Tente respirar entre 8 e 12 vezes por minuto, estabelecendo um ritmo confortável e utilizando o diafragma.

Não negligencie seus sentimentos. Cuide-se e viva melhor e mais feliz consigo mesma(o)!

E para os responsáveis, aqui vão algumas dicas de como lidar com a ansiedade do adolescente

A ansiedade é uma reação humana que geralmente é expressa quando estamos diante de situações adversas. De um ponto de vista prático, ela pode ser mais branda e, portanto, mais facilmente reversível, ou bem severa, assumindo traços de transtorno, o que acaba exigindo maior atenção e tratamento especializado. Nas ocasiões em que ela se pronuncia de modo mais grave, a pessoa tende a desenvolver uma forte sensação de incerteza, medo e angústia, alimentando um padrão de pensamento que costuma ser pessimista e bastante desesperançoso.

Foto por Eye for Ebony

Em face a situações como essa, não basta apostar em frases otimistas e de efeito. Afinal, o mero encorajamento não é o suficiente para estimular a pessoa que se vê presa a esta condição adversa. Menosprezar o caso e achar que o tempo vai ser o suficiente para tratar do problema também pode ser pouco eficaz e até perigoso. Diante disso, surge então a pergunta:

“Afinal, o que é que eu posso fazer para de fato ajudar meu filho?”

Aqui vão 6 dicas do que você pode fazer para ajudar pessoas ansiosas no seu cotidiano:

  1. Apoie sem pressionar

É possível promover incentivo sem pressão.

  1. Ouça mais

Pode acontecer de a pessoa ansiosa demonstrar o desejo de desabafar com você! Quando algo desta natureza acontece, isso significa que a pessoa em questão entende que a relação ali estabelecida é de confiança. Em ocasiões como esta, não apele para avaliações e julgamentos. Apenas escute e procure não desmotivar a pessoa que está se abrindo. Em contrapartida, não force o diálogo exigindo que a pessoa se expresse abertamente sobre todos os seus sentimentos. Respeite o tempo e o ritmo da pessoa!

  1. Demonstre preocupação sincera Independentemente do tamanho da crise, o diálogo deve ser afetuoso

Vale apostar em um “eu entendo você, vamos dar um tempo até que passe, estou aqui com você”. Permaneça ao lado demonstrando empatia.

  1. Procure alimentar a mente da pessoa com boas lembranças e sentimentos

É possível redirecionar a atenção da pessoa falando sobre algo aleatório ou relembrando coisas boas que já aconteceram ou que estão programadas para acontecer. Procure ser sutil ao fazer isso.

  1. Convide a pessoa para dar uma volta

A bem da verdade, nem sempre a pessoa ansiosa estará disposta a realizar alguma atividade prazerosa ao ar livre. De todo modo, a tentativa sempre vale a pena. Promova o convite. Pode ser para uma volta na praça, uma caminhada leve, um passeio sem pressa em algum lugar no qual a pessoa se sinta bem. Caso o convite seja bem recebido, ótimo. Do contrário, não insista. O importante é deixar claro para a pessoa que você está ao alcance e que, inclusive, pode realizar esse passeio em qualquer outro momento no qual ela se sinta melhor.

  1. Elimine expectativas ou suspense

Quem convive com alguém muito ansioso precisa ser mais objetivo e assertivo, portanto, evite qualquer tipo de tensão. Não fale “vamos, estamos atrasados” ou “estou com um pressentimento ruim”. Evite frases e expressões que possam trazer desconforto.

Por fim, lembre-se que essas dicas não substituem um acompanhamento profissional. Ou seja, faça a sua parte, mas entenda o limite daquilo que você pode fazer. Não vá além ou aquém do que pode realizar. Faça o melhor dentro do que lhe for possível.

Texto de autoria da Psi. Raphaela Gomes.

Co-produção: Oxigene-se.

Sobre a autora:

Raphaela Gomes é psicóloga do Colégio Santo Antonio Maria Zaccaria, onde coordena o Serviço de Orientação Psicológico. Além de realizar atendimentos aos estudantes da instituição, Raphaela também coordena ações coletivas e atividades no Colégio que estimulam o autoconhecimento e o diálogo entre os estudantes.

Para mais informações, entre em contato conosco através dos nossos canais de atendimento:

📍 Rua do Catete, 113 – Catete

📱 (21) 98450-1800

☎️ (21) 3235-9444

📧 atendimento@zaccaria.g12.br